WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
farmacia perfumaria abaete I










setembro 2020
D S T Q Q S S
« ago    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: ‘Destaque1’

Política: Deputados baianos gastam 42% menos da cota parlamentar durante a pandemia

Fonte / Rodrigo Aguiar

O uso da cota parlamentar pela bancada baiana na Câmara dos Deputados caiu 42% com a pandemia do coronavírus. Entre março e junho de 2019, os 39 deputados federais baianos utilizaram R$ 5,88 milhões. Este ano, no mesmo período, as despesas totalizaram R$ 3,45 milhões. O único deputado baiano a aumentar as despesas no período analisado foi Igor Kannário (DEM). Entre março e junho do ano passado, ele usou R$ 52,6 mil da verba. O montante quase dobrou, passando para 103,2 mil. Kannário gastou R$ 50 mil de consultoria em quatro meses. Procurado, o deputado não se manifestou até o fechamento.

Também conhecida como cotão, a verba pode ser utilizada para bancar passagens aéreas, telefonia, manutenção de escritórios, alimentação, hospedagem, aluguel de veículos, combustíveis, consultorias e divulgação do mandato, entre outros gastos. Apesar da economia geral, puxada principalmente pela ausência de viagens a Brasília, alguns números ainda chamam a atenção. O deputado Daniel Almeida (PCdoB), por exemplo, aumentou em 61% a verba para divulgação do mandato. Entre março e junho do ano passado, foram gastos R$ 58,7 mil. Em 2020, o montante saltou para R$ 94,7 mil.

O parlamentar lidera, na bancada baiana, o ranking do uso do cotão durante a pandemia. No total, o comunista utilizou 151,9 mil – o que significa que utilizou 62% disso para divulgar o mandato durante a pandemia. “O ritmo de funcionamento da Câmara mudou o formato, mas se mantém. Temos aprovado mais matérias do que em outros períodos. No meu caso específico, houve alguns ajustes, deslocando gastos com deslocamento para estrutura de comunicação, com as lives, sessões virtuais, etc. Foi isso que aconteceu”, afirma o deputado. Em segundo, Ronaldo Carletto (PP) gastou R$ 139,5 mil nos quatro meses referidos. Além disso, o padrão de uso da cota parlamentar do deputado pouco mudou com a Covid-19. No mesmo período do ano anterior, ele gastou apenas R$ 5 mil a mais. A reportagem não conseguiu contato com Carletto.

Quem também manteve praticamente o mesmo nível das despesas foi Lídice da Mata (PSB). A diferença foi de R$ 8,6 mil, já que, durante a pandemia, ela gastou R$ 102,1 mil da cota parlamentar e, nos mesmos meses do ano passado, as despesas totalizaram R$ 110,7 mil. Lídice pontua, porém, que pouco utilizou a cota no ano passado, em relação a seus colegas. Nos referidos meses em 2019, somente Adolfo Viana (PSDB) e Igor Kannário tiveram menos despesas do que ela. “Agora, eu tenho compromissos que não posso deixar de manter. Começaria a ter prejuízo de mandato. Não tenho partido grande”, afirma Lídice. Entre suas maiores despesas entre março e junho deste ano, estão 31 mil pagos a título de consultoria.

Na outra ponta do ranking, Bacelar (Podemos) está entre os que menos usaram a verba nesse período – foram R$ 48,6 mil utilizados. Entre as despesas cortadas, ele cita aluguel de veículos para viajar ao interior da Bahia ou rodar em Brasília, gastos com combustível e material de divulgação. “Eu não viajei, estou há 120 dias em casa praticamente. Só vou ao escritório de vez em quando. E toda viagem que a gente vai, levamos jornal, panfleto, o povo pede o material no interior”, afirma Bacelar. Antes do “novo normal”, porém, a situação era outra. Bacelar foi o deputado baiano que mais fez uso da cota parlamentar entre março e junho de 2019, com R$ 193,2 mil. Desse valor, foram R$ 71,2 mil apenas com divulgação do mandato. Com a pandemia, a verba destinada a esta função diminuiu para R$ 31,9 mil.

“Eu, pessoalmente, acho que a cota deve ser usada, se você tem necessidade. É um instrumento do mandato. Se tiver tudo normal, eu tenho despesa para isso. Todo final de semana a gente viajava. É gasolina, almoço, material”, argumenta Bacelar, ao ser questionado sobre o valor costumeiramente usado. Em maio do ano passado, suas despesas contabilizaram R$ 61,2 mil. O valor ultrapassa o limite mensal de R$ 39 mil estabelecido para os parlamentares da Bahia. No entanto, quando excedido o limite mensal, os deputados costumam compensar em outros meses para não bater a cota. Além disso, os gabinetes têm um prazo de até 90 dias para prestar contas das despesas.

Caetanos: Prefeito Paulo de Reis presta conta a população sobre uso de verbas do covid19

Prefeitura de Caetanos

O Prefeito Paulo de Reis apresenta, de forma clara como as ações e investimento para a pandemia da COVID-19 estão sendo distribuídos. Nesse momento o gestor está na sala de estabilização que possui dois respiradores, adquiridos com o recurso disponibilizado, que não servirão apenas para esse momento. Como pode ser observado, a Prefeitura Municipal de Caetanos vem cumprindo com a sua responsabilidade com seu povo, investindo em equipamentos e ações para o enfrentamento do NOVO CORONAVÍRUS que assola o mundo. CONFIRA O VÍDEO;

PREFEITO FALA SOBRE AÇÕES E INVESTIMENTOS PARA O ENFRENTAMENTO À COVID-19

O Prefeito Paulo de Reis apresenta, de forma clara como as ações e investimento para a pandemia da COVID-19 estão sendo distribuídos. Nesse momento o gestor está na sala de estabilização que possui dois respiradores, adquiridos com o recurso disponibilizado, que não servirão apenas para esse momento. Como pode ser observado, a Prefeitura Municipal de Caetanos vem cumprindo com a sua responsabilidade com seu povo, investindo em equipamentos e ações para o enfrentamento do NOVO CORONAVÍRUS que assola o mundo.

Publicado por Prefeitura de Caetanos em Quarta-feira, 15 de julho de 2020

Pandemia: Vacina contra covid-19 testada no Brasil pode ter registro liberado em junho de 2021

O Correio

A vacina contra a covid-19 que está sendo testada no Brasil, desenvolvida pela universidade de Oxford, pode ter registro liberado em junho de 2021, segundo expectativa de Soraia Smaili, reitora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), instituição que participa da pesquisa. Em todo mundo, 50 mil pessoas participam dos testes. São 10% no Brasil – 2 mil na Bahia, 2 mil em São Paulo e mil no Rio de Janeiro.

O Centro de Referência para Imunibiológicos Especiais (CRIE) da Unifesp coodena a aplicação em São Paulo, que acontece desde junho com voluntários da área médica. “Com a quantidade de pessoas que estão recebendo a vacina no mundo, é possível que tenhamos resultados promissores no início do ano que vem e o registro em junho”, acredita Soraia, que falou em entrevista à GloboNews. A vacina da Oxford foi considerada a mais adiantada em desenvolvimento do mundo pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Emergencial
Por ser considerada uma vacina emergencial, em meio à pandemia, a universidade conseguiu reduzir o tempo da fase 3 de 18 para 12 meses.  Nessa última fase, parte dos voluntários recebe a vacina e parte recebe o placebo, sem que eles saibam o que receberam. Esse processo é conhecido como “duplo cego”. Depois, os voluntários são acompanhados pelo período de 1 ano.  “A vacina de Oxford é uma candidata bastante forte e está bem avançada, (mas) é preciso respeitar o tempo do estudo. E precisa ter os resultados, pelo menos, dos 6 primeiros meses, pra saber qual o conjunto dos resultados”, avalia. “Juntando todos os resultados, eles poderão ter o registro em 12 meses, ou seja, junho do ano que vem”. Segundo a OMS, 163 vacinas estão sendo testadas em todo mundo contra o coronavírus. Ao todo, 23 estão na fase de testar em seres humanos.

Eleições 2020: Presidente do TSE veta biometria na eleição de novembro devido à pandemia

Giro Itagibá

Em função da pandemia do novo coronavírus, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, decidiu excluir a necessidade de identificação biométrica na eleição municipal deste ano. A decisão de Barroso ainda precisa ser analisada pelos demais ministros do tribunal. Neste ano, 119,7 milhões de eleitores estariam aptos a votar pelo sistema de biometria. A exclusão do procedimento segue recomendação apresentada pelos infectologistas que prestam consultoria sanitária para a realização pleito e considera dois fatores: a identificação pela digital pode aumentar as possibilidades de infecção, já que o leitor não pode ser higienizado com frequência; o aumento de aglomerações, uma vez que a votação com biometria é mais demorada do que a votação com assinatura no caderno de votações. Muitos eleitores têm dificuldade com a leitura das digitais, o que aumenta o risco de formar filas.

A questão deverá ser incluída nas resoluções das Eleições 2020 e deve ser levada para análise pelo plenário do TSE após o recesso do Judiciário. Foram ouvidos pelo TSE os médicos David Uip, do Hospital Sírio Libanês; Marília Santini, da Fundação Fiocruz; e Luís Fernando Aranha Camargo, do Hospital Albert Einstein, que integram o grupo que presta a consultoria. Os médicos participam de uma consultoria sanitária, prestada de forma gratuita, e que busca criar um protocolo de segurança a ser replicado em todas as seções eleitorais do Brasil. O grupo deve se reunir semanalmente para definir as regras e a cartilha de cuidados.

Brasilia: Câmara aprova ampliação do rol de profissionais de saúde indenizáveis por Covid-19

Foto / Reprodução

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (14) emendas do Senado ao projeto de lei que prevê o pagamento, pela União, de compensação financeira de R$ 50 mil aos dependentes de profissionais e trabalhadores de saúde mortos após serem contaminados pelo novo coronavírus ao atuarem diretamente no combate à pandemia de Covid-19. A matéria será enviada à sanção do presidente da República. A indenização se aplica também no caso de incapacidade permanente para o trabalho, conforme consta do Projeto de Lei 1826/20, dos deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Fernanda Melchionna (Psol-RS).

O Plenário seguiu o parecer favorável do deputado Mauro Nazif (PSB-RO) para as emendas. Uma delas inclui outras categoria entre os beneficiários dessa indenização, como fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais, profissionais que trabalham com testagem nos laboratórios de análises clínicas, trabalhadores dos necrotérios e coveiros, e todos aqueles cujas profissões sejam reconhecidas pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e que atuam no Sistema Único de Assistência Social (Suas). Também permanecem no texto os beneficiários listados pela Câmara na primeira votação do projeto:
– os agentes comunitários de saúde ou de combate a endemias que tenham realizado visitas domiciliares durante a pandemia;
– aqueles cujas profissões de nível superior sejam reconhecidas pelo Conselho Nacional de Saúde;
– aqueles cujas profissões, de nível técnico ou auxiliar, sejam vinculadas às áreas de saúde; e
– aqueles que, mesmo não exercendo atividades-fim de saúde, ajudam a operacionalizar o atendimento, como os de serviços administrativos e de copa, lavanderia, limpeza, segurança, condução de ambulâncias e outros.

Para Reginaldo Lopes, as emendas aprovadas deixam “mais claro e mais transparente o conjunto de profissionais que serão indenizados”. Ele destacou que a proposta é uma demonstração de gratidão a essas pessoas. “Até agora já foram 169 profissionais de saúde mortos. E muitos dos que continuam saudáveis não conseguem ir para casa por medo de contaminar seus familiares”, acrescentou Fernanda Melchionna. O relator do projeto, Mauro Nazif, comemorou a aprovação, destacando que foi uma vitória para os parentes dos profissionais vitimados. As emendas foram aprovadas com 272 votos contra 185. A base do governo da Câmara encaminhou contra as mudanças.

Valores
O texto determina o pagamento de R$ 50 mil por morte ou incapacidade permanente. No caso de morte, o valor será dividido igualmente entre os dependentes e o cônjuge ou companheiro. Emenda do Senado aprovada prevê o pagamento também das despesas com funeral. Além desse valor, serão devidos R$ 10 mil por ano que faltar para o dependente menor de 21 anos atingir essa idade. Ou seja, se o profissional falecido tiver deixado um bebê recém-nascido, ele terá direito a R$ 210 mil. Outro ponto sugerido pelos senadores e aceito pelos deputados estende essa indenização aos dependentes de até 24 anos se estiverem cursando a faculdade com a mesma sistemática de cálculo.

Para dependentes com deficiência, a indenização será de R$ 50 mil, independentemente da idade. Os valores somados de todas as indenizações devidas deverão ser pagos em três parcelas mensais, iguais e sucessivas.

Condições de saúde
A presença de comorbidades não afasta o direito ao recebimento da compensação financeira. A indenização poderá ser concedida mesmo que a Covid-19 não tenha sido a única causa, principal ou imediata, para a ocorrência da incapacidade permanente para o trabalho ou do óbito. Entretanto, deve ser mantido o nexo temporal entre a data de início da doença e o diagnóstico, comprovado por exames laboratoriais ou laudo médico atestando quadro clínico compatível com a doença. A concessão da indenização estará sujeita à avaliação de perícia médica realizada por servidores integrantes da carreira de perito médico federal e será devida mesmo se a incapacidade ou morte ocorrer depois do fim do estado de calamidade pública ou anterior à publicação da futura lei.

Tributos
Como o dinheiro terá natureza indenizatória, sobre ele não incidirá o pagamento de imposto de renda ou de contribuição previdenciária, além de não prejudicar o direito ao recebimento de benefícios previdenciários ou assistenciais previstos em lei.

Afastamento do trabalho
Emenda do Senado rejeitada pelo Plenário pretendia excluir do texto do relator dispositivo que dispensa o trabalhador de apresentar ao empregador, por sete dias, comprovação de doença. A regra valerá durante o período de emergência em saúde pública. No oitavo dia de afastamento, o trabalhador poderá apresentar, como justificativa válida, documento de unidade do Sistema Único de Saúde (SUS) ou documento eletrônico regulamentado pelo Ministério da Saúde.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Poções: Chefe de obras, Luciano Maximo, recebe moção de aplausos da Câmara de vereadores

Foto / DECOM

O chefe de obras do município de Poções, lotado a Secretaria de Infra-instrutora, recebeu na noite da última sexta-feira, dia 11 de Julho, uma moção de aplausos da Câmara de Vereadores, apresentado pelo vereador Carlos de Jesus [Careca do Bela Vista] (PSB).

A entrega aconteceu durante a inauguração da Padaria Municipal, entregue pelo prefeito Leandro Mascarenhas a comunidade do bela Vista.  Luciano Maximo vem se destacando na execução das obras em todo o município, com as lives e postagem diária em seu perfil no Facebook sobre todas as ações do governo municipal.

Em contato com nossa reportagem, o servidor Luciano disse que “para mim é uma honra receber essa homenagem, de ver nosso trabalho sendo reconhecido. Agradeço ao nosso prefeito Léo por ter mim dado essa oportunidade e confiado em minha pessoa”, destacou Luciano Maximo.

Corona Vírus: Estado da Bahia recebeu quase Um Bi para aplicar no combate ao covid19

Fonte / Ministério da Saúde

O Governo do Brasil segue reforçando o Sistema Único de Saúde (SUS) para garantir o cuidado à saúde de todos os brasileiros no enfrentamento à Covid-19. Nesta quinta-feira (2) autorizou, de uma só vez, o repasse de mais R$ 13,8 bilhões – maior valor já liberado em uma única fase. Os recursos podem ser usados para melhoria da oferta dos serviços hospitalares e de Atenção Básica por meio da aquisição de insumos e produtos, custeio de intervenções médicas, contratação de profissionais de saúde, entre outras benfeitorias na rede pública de saúde, com foco na assistência ao cidadão. Ao todo, já são cerca de R$ 25 bilhões destinados exclusivamente para a Covid-19.

Confira a apresentação da coletiva

Para definir o valor a ser destinado para cada município, o Ministério da Saúde considerou o tamanho da população e a média de recursos transferidos para atenção hospitalar e atenção básica no ano passado. Já para a distribuição de recursos aos estados, além do critério populacional, foi considerado também o número de leitos de UTI registrado nos planos de contingência preparados pelos estados para enfrentamento à pandemia do coronavírus e a taxa de incidência da Covid-19 por 100 mil habitantes.

O conjunto de 5.570 municípios do país receberão o total de R$ 11,3 bilhões. Já para os estados o valor repassado é na ordem de R$ 2,5 bilhões.

O Ministério da Saúde acompanha de perto a situação da transmissão da Covid-19 em todo o país e tem atuado, em conjunto com as secretarias estaduais de saúde e municipais de saúde para apoiar as ações de enfrentamento à doença. “Esta é mais uma demonstração de que o Governo Federal mantém apoio irrestrito aos estados e municípios para garantia do cuidado adequado à saúde da população. O SUS funciona com a articulação das ações entre governo federal, estados e municípios”, aponta Elcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde.

Anteriormente, o Ministério da Saúde já havia distribuído diretamente a estados e municípios R$ 9,9 bilhões de recursos voltados exclusivamente para combate ao coronavírus. Os recursos foram transferidos por critério per capita; para habilitação de leitos de UTI Covid-19 e de leitos em Hospitais de Pequeno Porte; incremento ao teto hospitalar; auxílio financeiro emergencial às santas casas e hospitais filantrópicos; habilitação de Centros Comunitários de referência, entre outras ações.

Além das transferências diretas aos estados e municípios, o Ministério da Saúde também foram comprou e distribuiu mais de 15 milhões unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus; 115,7 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs); mais de 11,4 milhões de testes de diagnóstico para COVID-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus. O Ministério da Saúde também adquiriu e entregou 6.410 equipamentos para todos os estados brasileiros. Estes equipamentos são usados no tratamento de pacientes que apresentem dificuldades para respirar.

H1N1: Campanha Nacional de Vacinação alcançou 88,8% do público-alvo

Imagem Ilustrativa

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe alcançou 88,8% do público-alvo, da meta de 90%. Entre os grupos prioritários, os idosos foram o que tiveram melhor desempenho, com cobertura de 119,29%. Os estados e municípios receberam um total de 79,9 milhões de doses da vacina. Desse total, 77,28% foram aplicadas. Desde o dia 1º de julho, o Ministério da Saúde recomendou aos estados e municípios a estenderem a vacinação à população em geral até quando durarem os estoques da vacina, excedentes da campanha. A medida objetiva evitar o desperdício de doses nas localidades que não alcançaram a meta de imunização no público-alvo, que continua sendo prioritário.

Cerca de 17 milhões de pessoas do público-prioritário não buscaram os postos de vacinação, mas que ainda podem, se vacinar. A campanha nacional encerrou no dia 30 de junho, sendo exclusiva para: idosos; trabalhadores da saúde; membros das forças de segurança e salvamento; pessoas com doenças crônicas ou condições clínicas especiais; Além dos povos indígenas; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; pessoas com deficiência; professores; crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes; puérperas (pós-parto até 45 dias) e pessoas de 55 a 59 anos de idade.

A vacina é importante para reduzir complicações e óbitos por influenza. Entre os grupos prioritários, além dos idosos, os trabalhadores da área da saúde ultrapassaram 100%, alcançando 114,50% do grupo vacinado. Enquanto isso, o grupo com menor cobertura vacinal é o das pessoas entre 55 a 59 anos que tiveram apenas 55,86% de imunização; as gestantes, com cobertura vacinal de 60,91%; seguidas das crianças até cinco anos de idade, com 61,60%;professores das escolas públicas e particulares, com 68,56% do público vacinado.

A vacina da gripe protege contra os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no Hesmifério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença e óbitos. Ela não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde

Apesar deste momento em que o mundo vive a pandemia causada pelo coronavírus, com o isolamento social e o receio das famílias em ir aos postos de saúde, o Ministério da Saúde tem orientado todas as equipes de saúde do país quanto às medidas de segurança para evitar infecções e realizar uma vacinação segura para a população e as equipes de saúde.

Em 2020, até o mês de maio, foram registrados 1.517 casos de influenza (gripe) em todo o país, com 209 mortes. Do total de casos, 588 foram casos de influenza A (H1N1), com 79 óbitos; 64 casos e 13 óbitos por influenza A (H3N2), 374 de influenza A não subtipado, com 63 mortes; e 491 casos e 54 óbitos por influenza B.

No mesmo período de 2019, ou seja, até o mês de maio, 5.800 casos de influenza foram registrados em todo o país, com 1.122 mortes. Do total de casos, 3.430 foram casos de influenza A (H1N1), com 796 óbitos; 860 casos e 120 óbitos por influenza A (H3N2), 779 de influenza A não subtipado, com 124 mortes; e 731 casos e 82 óbitos por influenza B.

Iguaí: Rony Moitinho poderá ficar inelegível; Prefeito tem 15 dias para apresentar defesa referentes as contas de 2011/2012

Imagem da notificação

Na manhã desta sexta-feira, dia 03 de Julho, o presidente do Legislativo Municipal, Ranulfo José Moreira, notificou o prefeito Rony Moitinho a apresentar defesa aos sufrágios registrados nas contas 2011/2012, em um prazo de quinze dias (15), a contar da data recebida a notificação. Conforme informações obtidas por nossa reportagem, o DEM (Democratas) intentou ação na Justiça; Confira.

Imagem da notificação

“O DEM  – DEMOCRATAS DE IGUAÍ, intentou ação judicial (Agravo de instrumento – processo n. 8016626-45.2020.8.05.0000.AI DEMOCRATAS), para compelir o presidente da câmara municipal a por em votação, as contas do seu alcaide, Ronaldo Moitinho dos Santos, concernentes aos exercícios de 2011 e 2012, ora rejeitadas pelo TCM-BA. A qual foi deferida pela juíza Relatora do Tribunal de Justiça da Bahia, que determinou aquele agente, o julgamento das mesmas, no prazo de 2 (dois) dias, sob multa diária de 10.000,00 ao limite de 200.000,00 pelo descumprimento diário da medida.

Temoroso em ser atingido pela lei de ficha limpa, LC 135 e tornar inelegível o seu conluio político (caso suas contas retornasse ao crivo dos vereadores), tendo em vista que para aprovação das tais contas é necessário o quórum de 2/3 dos edis, ou seja, 8 vereadores, Ranulfo Moreira, recorreu da decisão.

Em virtude de um decreto (decreto legislativo n. 02/2017 – abaixo) votado pelos senhores vereadores, o qual “CONVALIDOU” (dar validade a atos que não acarretarem lesão ao interesse público nem prejuízo a terceiros, os atos que apresentarem defeitos sanáveis) o procedimento para votação das contas do ex-prefeito carece apenas da citação do mesmo, e consequentemente, convocação de uma sessão extraordinária, para votação, que pode ser finalizado em um prazo de 16 (dezesseis) a 20 (vinte) dias no máximo.”

Imagem da notificação

Após o prazo de (15) quinze dias, o prefeito Rony deverá apresentar sua defesa perante o Parlamento Municipal, na seqüência, o presidente da Câmara coloca as contas em votação.

Poções: Prefeito Léo inaugura Centro de Reabilitação Municipal

Fotos: DECOM/PMP

O prefeito Leandro Araújo Mascarenhas (Léo de Tonhe Gordo) inaugurou na noite desta última quarta-feira 01 de Julho, o Centro Municipal de Reabilitação, que está instalado junto a Policlínica do município.

Na oportunidade, o chefe do Executivo destacou a importância da implantação deste projeto que para ele era questão de compromisso com a saúde pública municipal. “Esse projeto foi sonhado e planejado antes mesmo do início do nosso mandato. Juntamente com nossa secretária de saúde Lorena Santos, projetamos este espaço pensando no bem-estar da comunidade e na ampliação dos serviços para nossos munícipes”, ressaltou o prefeito.

O Centro Municipal de Reabilitação leva o nome de Orlando Rolim, figura política, ex- vereador (sem remuneração), comerciante, que deixou grande legado de contribuição com o desenvolvimento do município onde construiu família.

A construção do espaço foi feita com recursos próprios da Secretaria de Saúde. A secretária de saúde Lorena Santos, salientou “Vivemos uma nova realidade no setor de saúde em Poções, a prova disso está materializada com a inauguração do centro de reabilitação do nosso município. “Estamos  certos que esse momento difícil  vai passar    [referindo a pandemia do covid19] e retornaremos com a normalidade de nossas vidas. Mais mesmo assim, continuaremos investindo no melhor para nossa população, proporcionando a cada dia, uma saúde de qualidade e humanitária”, salientou ela.

Serão atendidas no centro de reabilitação pessoas de todas as idades, que tenham sido encaminhadas por médicos através das unidades de saúde.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia