Blog Panorama Geral / Agência Brasil

Após um 2020 parado em razão da pandemia de Covid-19, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, deve analisar o caso de Flordelis (PSD-RJ) até a próxima terça-feira (23)).

Quatro meses após a corregedoria decidir pelo andamento do caso, a representação por falta de decoro contra a deputada acusada de mandar matar o ex-marido foi enviada pela Mesa Diretora. As informações são do Congresso em Foco, do UOL.

Anderson do Carmo foi assassinado em agosto do ano passado. De acordo com as investigações da polícia, a pastora evangélica que foi mãe adotiva de Anderson, teria sido a mandante do crime, executado por alguns dos seus 55 outros filhos adotivos.

“A filha assumiu o crime, em depoimento à Justiça, e diz que mandou as mensagens. Isso gera dúvida nos parlamentares. A partir disso pode ter mudado um pouco o entendimento de alguns parlamentares. Ela tem se manifestado nas redes sociais e tem tido maior adesão nos últimos dias, depois do depoimento da filha. Vamos aguardar a apuração do caso”, disse Paulo Bengston (PTB-PA), corregedor da Câmara.