Assessoria do vereador

Em nota publicada, a APLB Sindicato de Poções refutou uma fala do vereador Eduardo do Sindicato na última sessão da Câmara. A APLB alega que o vereador é contra o pagamento de salários a professores durante a pandemia e que o mesmo discrimina a categoria dos professores. Diante do exposto, o edil emitiu uma nota de esclarecimento. Veja:

“Venho esclarecer e afirmar que esta é uma inverdade, pois minha fala está relacionada com a suspensão temporária de alguns funcionários contratados na área da Educação, como é o caso de alguns professores contratados por tempo determinado. A Secretaria Municipal de Educação realizou a suspensão temporária devido a pandemia da COVID-19. Infelizmente a prefeitura não teria como justificar os pagamentos junto ao TCM referente aos profissionais contratados para suprir a necessidade temporária, já que os ambientes escolares encontram-se fechados conforme decretos estadual e municipal. Além disso, existe a lei de responsabilidade fiscal 101/2000, onde, caso a prefeitura porventura mantivesse o pagamento de funcionários contratados da área da educação, ocasionaria a rejeição das contas pelo TCM. Ressalto aqui que sempre estudei em escola publica e tenho total respeito, consideração e admiração a todos os professores não só da rede municipal, mas também da redes estadual e privada; tornei-me um profissional graças aos professores, e ainda nos dias de hoje continuo a estudar, e sei das dificuldades enfrentadas por todos os profissionais da área da educação. Tenho filhos que estudam na rede pública de ensino com excelentes professores que dedicam suas vidas a formarem profissionais e cidadãos cheios de conhecimento. Portanto, jamais iria desmerecer a categoria; tenho tia, irmã, cunhado e prima que são professores das redes municipal e estadual. Lamento a forma que foi distorcida a minha fala na sessão pegando de forma isolada. Neste momento tão delicado devemos deixar as divergências políticas de lado e nos unirmos no combate à pandemia da COVID-19. Lamento a interpretação de forma equivocada por parte da APLB e me coloco à inteira disposição para todo e quaisquer esclarecimento”.